Tiago Santiago, autor de Amor e Revolução: "só criminoso tem medo da novela"

13-04-2011 00:23

publicado originalmente no site PRIMEIRA EDIÇÃO

Muito tempo antes de estrear a novela Amor & Revolução, o autor da trama, Tiago Santiago já esperava muita polêmica no ar. Pois bem, nesta terça-feira, 12, vai ao ar o 8º capítulo da trama e já tem gente pedindo para a atração ser tirada da grade de programação do SBT. Pelo menos, este é o objetivo de um abaixo assinado criado no dia 1º de abril, pela Associação Beneficente dos Militares Inativos da Aeronáutica, e que tem circulado na internet com uma série de acusações contra o SBT. 


Em conversa exclusiva com a CARAS Online, o autor contou que está indignado com a ação. "O abaixo-assinado é tão mal feito que cita a Comissão da Verdade como algo que já existe e todo mundo sabe que este é um projeto que ainda não foi concluído", contou Tiago Santiago. Para ele, "apenas torturador que não pagou por seus crimes têm medo de ver exposta toda a barbaridade que o regime militar aplicou no Brasil". 


Apesar de levar ao ar várias cenas violentas e de tortura, Tiago acredita que não está pegando pesado e que não errou a mão na hora da história. "Quando eu trabalhava na Globo já tinha esse projeto. Na época, não aconteceu. Quando eu cheguei ao SBT aproveitei para apresentar a temática e ela foi superbem recebida, em junho do ano passado. Tanto não pego pesado como mostro vários militares legalistas que se posicionavam de maneira contrária à ditadura. Isso quer dizer, no meu entendimento, que a obra mostra que havia gente ruim em todos os lugares", explicou.


O autor não acredita na seriedade do abaixo-assinado, que contabiliza cerca de 300 assinaturas até a manhã desta terça-feira. "Esse tipo de iniciativa só interessa a quem foi torturador, quem foi criminoso e não pagou pelos crimes que cometeu no passado. O Brasil tem um passado e um presente de tortura muito fortes. Primeiro começou lá com a escravidão, depois o Estado Novo, a Ditadura e ainda hoje a gente tem essa realidade. Mesmo assim, não é de surpreender que uma parcela queira tapar o sol com a peneira", arrematou.