Claudio Lins se inspirou em avô militar para criar seu personagem em "Amor e Revolução"

14-04-2011 22:35

por Marcelle Carvalho, publicado originalmente no site EXTRA (Globo)

Foto: Lourival Ribeiro

 

Cláudio Lins não precisou ir muito longe ao buscar a inspiração para viver o militar José Guerra, de "Amor e revolução", do SBT, que é contra o golpe articulado pelas forças armadas. Ele tinha o que precisava em casa.

— Meu avô paterno, Geraldo Lins, foi da Marinha. Ele apoiou a revolução de 64, mas, a partir do momento em que se instaurou a ditadura e começaram a ser promulgados os Atos Institucionais (os famosos AIs), rompeu com as Forças Armadas. Ele foi sempre um defensor da liberdade democrática — conta o ator.

Assim como o avô, Claudio diz que muitos militares foram contra a ditadura e acabaram expurgados por causa disso.

— A época era muito polarizada entre esquerda e direita, não existia meio termo. E José Guerra é o meio termo. Ele acredita no Exército, na direita onde está inserido, mas não concorda com os pensamentos, como muitos na época — analisa.

Se não bastasse todo conflito interno e familiar, o personagem ainda se apaixona por Maria (Graziella Schmitt), uma comunista.

— É uma paixão arrebatadora. Maria é de família comunista, ela parte para guerrilha e luta armada — diz Cláudio, cujo personagem vai, por amor, desertar e pegar em armas: — Vai ser uma punhalada para a família, mas ele estará indo ao encontro do que acredita ser o certo: estar ao lado de Maria e lutar pela liberdade.